Figuras de linguagem, expressões do universo ribeirinho e urbano inspiram Coleção de Joias e Produtos de Moda (2017/2018) de marcas paraenses


As expressões já-me-vu, veropa, pavulagem, espia, arreda, eu não sou tapioca para me derreter na chuva, manifestações culturais locais e o resgate poético da vida ribeirinha tornaram-se matéria-prima para o desenvolvimento criativo da coleção de joias e produtos de moda denominada Paraensismo que será lançada no dia 10 de agosto, no Jardim da Liberdade do Espaço São José Liberto. O coletivo é formado por criadores e empresários integrantes do Programa Polo Joalheiro do Pará e do Arranjo Produtivo Local de Design, Moda e Indústria do Vestuário. Um desfile coordenado pelo produtor Diogo Carneiro apresentará conjunto de colares e brincos, gargantilhas, braceletes, pingentes, vestuário e bolsas que estão na coleção.

O trabalho coletivo dos empreendedores começou bem antes das peças serem produzidas. A inspiração surgiu do workshop de geração de produtos de moda e joias promovido pelo Instituto de Gemas e Joias da Amazônia com a direção criativa do consultor Erivaldo Jr., que também é arquiteto e designer, além de docente e consultor de empresas.  A proposta de criar uma coleção a partir das expressões paraenses surgiu após a apresentação no ESJL do caderno Senai Mix Design de São Paulo promovido pelo IBGM (Instituto Brasileiro de Gemas e Metais Preciosos) que apresentou as macrotendências de comportamento e consumo em três direções criativas, sob a temática “Comunicare”, representadas por três figuras de linguagem: hipérbole do eu, eufemismo cotidiano e prosopopeia digital.

Erivaldo, então, trouxe a discussão para o workshop com os designers, estimulando-os a criar uma coleção inspirada nas palavras e expressões paraenses que fazem parte do imaginário amazônico. Para não fugir do foco das figuras de linguagem e expressões da cultura paraense, os participantes realizaram uma imersão em suas memórias e em pesquisas sobre o lifestyle local para que, individualmente, cada um procedesse a sua escolha criativa e inspiracional. O processo criativo do workshop se deu por meio de pesquisa de verbetes da região, pesquisa de músicas e poesias, além da apresentação de imagens que estimulassem e inspirassem a criatividade dos designers presentes no worskshop.

Neste processo, a inspiração foi além das palavras e foram abordados temas inspirados na música, na dança, nas cores das roupas das manifestações culturais tradicionais, na arquitetura, no modo de vida ribeirinha e urbana. As peças da coleção descrevem formas diversificadas por meio do design de joia e moda como: formas geométricas, com ângulos retos, detalhes orgânicos fluídos, movimentos geométricos do art decór, gestual leve da dança do carimbó, ícones ribeirinhos e formas pesadas e robustas como as mangas de Belém.




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Marcas paraenses participaram de editorial em exposição no Espaço São José Liberto

Exposição "Made in Brazil" fica aberta ao público até o fim do mês |
Foto: Ascom/IGAMA

Fica aberta ao público até o dia 30 de julho no Espaço São José Liberto a exposição “Made in Brasil”, um editorial de moda realizado pelo FFW (portal Fashion Forward) com criações de pequenos negócios do Pará, selecionados pelo time de curadores do São Paulo Fashion Week, tendo como marcas paraenses a Amazonia Zen, Celeste Heitmann, Da Tribu, Fabio Purificação, Madame Floresta, Monica Matos, Na Figueiredo, Roor , Tiago Prado e Yemara Ateliê.

A exposição integrou a programação do São Paulo Fashion Week Day que aconteceu nos dias 12 e 13 de julho, em Belém, no Espaço São José Liberto com a finalidade promover um ambiente de inspiração e troca de conhecimentos para micro e pequenas empresas paraenses a partir de temas explorados na última edição da São Paulo Fashion Week, tendências de mercado e experiências de estilistas e marcas de alto valor agregado. Belém foi a primeira cidade a receber o SPFWDay que também vai passar por Natal (RN) e Criciúma (SC). O evento foi uma realização do Sebrae, São Paulo Fashion Week e Instituto In-MOD em parceria local com o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia, Organização Social gestora do Espaço São José Liberto mantida pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).

Juliana Borges, coordenadora do segmento de moda do Sebrae Nacional, explica que o objetivo do editorial em exposição é “trazer para o Pará as iniciativas e inteligência de moda que tem no Centro Sul, casando com a vocação de moda que temos aqui e fazer com que emerja daqui de Belém e da casa do São José Liberto, que é o ambiente que a gente tem como ideal para mostrar isso, quais são as vocações, o talento e a força da moda autoral que temos empregada aqui”.

O curador das peças que estão no editorial é Augusto Mariotti, editor-chefe do site FFW, conta que o processo de escolha é intuitivo, “é ver um valor naquele trabalho especial, mais único que traduza um pouco do trabalho local e da identidade daquela marca”. Augusto também destaca que as peças são muito ligadas com a natureza, devido ao uso de fibras naturais. Para ele, é “transformar coisas da natureza em peças de design e de moda”.

A “Da Tribu”, empreendimento de acessórios da artesã Kátia Fagundes, foi uma das marcas selecionadas. Além de ter ficado muito feliz com a escolha, ela destaca que é importante “saber que a gente tá ultrapassando as barreiras da cidade, do estado e as pessoas também estão valorizando isso. Sou artesã e também é uma coisa muito orgânica, é meu jeito de trabalho e eu fico feliz que as pessoas tenham entendido isso”. Kátia faz parte do Programa Polo Joalheiro há dois anos e tem suas peças comercializadas tanto na loja do Espaço Moda e na Casa do Artesão.

A designer Celeste Heitmann, que produz bolsas e integra o Programa Polo Joalheiro, também teve peças selecionadas para o editorial. Ela conta que ficou maravilhada com a escolha das suas peças na curadoria de São Paulo e sentiu a emoção na hora que viu a exposição: “Quando eu vi aquela foto, fiquei muito feliz de saber que vai para os outros dois estados”. Celeste também elogia o evento: “Foi grandioso, a gente só tem a aprender com o Paulo Borges, a Iza Dezon e a Patrícia Bonaldi”.

O editorial foi produzido com fotografia de Rafael Pavaroti, styling de Daniel Ueda e beleza por Camila de Alexandre, as top models Maria Oliveira (Way), Amira (Way), Nala Salomé (Oyxgen) e Nayara Oliveira (Prime). Além dos empreendedores locais, também foram escolhidas peças das marcas Cris Iglesias, Dominique (RN), Jardim de Ideia, Lush, Matersol, Palone Design, S Design e Vankoke, do Rio Grande do Norte; bem como, Melody, Nangara e PKD, de Santa Catarina.

Serviço
x

Exposição “Made in Brasil”
Até 30 de julho
Espaço São José Liberto | Salão de Exposições
Entrada franca




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe São Paulo Fashion Week Day


Anfiteatro Coliseu das Artes, onde será realizado o SPFW Day |
Foto: João Ramid

Com o objetivo de fomentar o empreendedorismo na moda, o São Paulo Fashion Week, junto com o Instituto de Moda e Design (In-MOD) e o Sebrae, realizarão em Belém o São Paulo Fashion Week Day nos dias 12 e 13 de julho uma agenda inovadora que ocorrerá no anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto e em outros estados brasileiros.

O evento, que contará com uma programação com exposição, palestras e talk shows, é voltado para empresários de pequeno porte dos segmentos de confecção, calçados, acessórios, gemas e joias e empreendedores criativos que integram a cadeia produtiva do setor.

A estimativa é que cada encontro realizado nos estados brasileiros atendidos por esta iniciativa alcancem de 100 a 150 participantes. Todos devem ser inscritos previamente nosite do In-MOD (institutoinmod.org.br).

Na quarta-feira, 12 de julho, a partir das 16h30, será realizada a abertura das exposições “SPFW N43: dos bastidores às passarelas” e “Made in Brasil, a moda dos pequenos negócios brasileiros no recorte do editorial do ffw.com.br”. Em seguida, às 17h, Paulo Borges, criador do São Paulo Fashion Week, vai ministrar a palestra “InPactos: as novas relações da moda, da passarela ao varejo”, onde serão abordados os novos comportamentos que estão transformando a dinâmica no mundo da moda, do ponto de vista de criação e negócios, no Brasil e no mundo.

No dia seguinte, 13, a programação começará às 9h, com a palestra “A economia da emoção”, com Iza Dezon, que terá como enfoque os desafios de gerar desejo e criar mercado que determinam o sucesso de pequenos negócios, num contexto em que o consumidor estabelece relações emocionais com a marca.

Em seguida, às 10h, será realizada uma conversa sobre moda e design com a empresária Patrícia Bonaldi, nome por trás das marcas PatBo, Apartamento 03 e Lucas Magalhães. Por fim, às 11h, Augusto Mariotti, diretor de conteúdo do site ffw.com.br, promove uma discussão com os convidados e media um bate-papo com os participantes que estarão presentes.

Em Belém, o evento conta com a parceria firmada entre o In-MOD e o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia – IGAMA (OS) gestora do Espaço São José Liberto. Além dos empreendedores de moda que participam deste evento, serão beneficiadas vinte microempresas integrantes do Arranjo Produtivo Local de Moda, Design e Indústria do Vestuário do Estado do Pará, cuja produção é comercializada no Espaço Moda do ESJL desde outubro de 2016.

O evento conta com o apoio institucional do Governo do Pará, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (SEDEME), o Núcleo Estadual de APLs e o IGAMA.

Serviço                                                         
São Paulo Fashion Week Day
Local: anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto
Data: 12/07
Abertura das exposições, 16h30
“InPactos: as novas relações da moda, da passarela ao varejo”, com Paulo Borges, 17h
Data: 13/07
“A economia da emoção”, com Iza Dezon, 9h
Conversa sobre moda e design, Patrícia Bonaldi, 10h
Talk show com convidados, mediação de Augusto Mariotti, 11h


Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe projeto “Dança de Salão Para Todos” no próximo sábado

Anfiteatro Coliseu das Artes, onde será realizado o projeto "Dança de Salão Para Todos" |
Foto: João Ramid

O Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto vai virar palco de dança de salão no próximo sábado, 01 de julho, das 10h às 15h30, ao receber o projeto “Dança de Salão Para Todos”, realizado pela Associação Paraense de Dança de Salão. Na ocasião, também haverá apresentação de mostra de dança a partir das 15h30, no mesmo local.

O evento, na sua primeira etapa, será uma grande aula de dança, com vários ritmos, como samba, forró, zouk, bolero, bachata e salsa, ministradas pelos professores Danilo Moraes, Edilene Rosa, João Rocha, Lynnekee Ayres, Joás Silva, Rullien Pollizeli, Sidney Teixeira e Rômulo Rafael, possibilitando de forma gratuita o conhecimento sobre os ritmos de grande reconhecimento universal.

A dança de salão é uma das expressões artísticas mais democráticas, porque adultos e idosos podem aprender as técnicas dos movimentos, cuidar da saúde e, principalmente, se divertir. A prática sistemática e coletiva contribui para a qualidade de vida daqueles que exercitam os movimentos rítmicos. A Associação Paraense de Dança de Salão (APDANS), fundada em outubro de 2004, é uma associação que promove e divulga a Dança de Salão, tendo como principais objetivos unir, desenvolver e valorizar a dança de salão no estado do Pará.

O evento tem apoio do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), organização social que gerencia o Espaço São José Liberto, mantido pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).

Serviço
Projeto “Dança de Salão para Todos”
Data: 01 de julho | Aulas de dança serão ministradas das 10h às 15h30 | Mostra de dança será apresentada das 15h30 às 16h30
Local: anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Quarteto de Cordas da EMUFPA se apresenta no Espaço São José Liberto

Capela do Espaço São José Liberto | Foto: João Ramid

O Espaço São José Liberto recebe na próxima sexta-feira, 30, o Quarteto de Cordas da Escola de Música da Universidade Federal do Pará (EMUFPA) em uma apresentação às 18h, na Capela São José.

O grupo, formado em 2016 por docentes da  Escola de Música da UFPA, iniciou, em 2017, suas atividades voltadas para a pesquisa de novas obras originalmente escrita para a formação de quarteto de cordas e levantamento de repertório que na qual abrange compositores eruditos internacionais assim como, compositores brasileiros do século XX e XXI.

O Quarteto de Cordas é formado pelo professor e coordenador do projeto de pesquisa Cristian Brandão, no violoncelo, pelos professores Celson Gomes e Joziley Brito, ambos no violino, e pelo professor Rodrigo Santana, na viola.

No repertório do recital estão as seguintes composições: Quarteto No. 19 Dissonante K465, de W.A.Mozart; Quarteto Op.125 No. 10 D. 87 E flat Major, de F. Schubert; Quarteto de Cordas Chuane – Maxixe, de José Agostinho da Fonseca (1923) com arranjo de Vicente Fonseca (2009).

O evento é resultado da parceria entre a Emufpa e o Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama), organização social que gerencia o Espaço São José Liberto, mantido pelo Governo do Pará, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme).

Serviço
Quarteto de Cordas da EMUFPA
Data: 30 de junho, 18h
Local: Capela do Espaço São José Liberto

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

A diretora do IGAMA Rosa Helena Neves e Jana Alexandre, que esteve no Espaço São José Liberto para conhecer a experiência do Programa Polo Joalheiro | Foto: Ascom/IGAMA 

Esteve no Espaço São José Liberto na última sexta-feira, 16, a socióloga Jana Alexandre Oliveira que está trabalhando na elaboração do plano de marketing do Arranjo Produtivo Local de Pedras, Gemas e Joias do Rio Grande do Sul. A Governança do APL de Pedras, Gemas e Joias já tem um plano de desenvolvimento e também tem por objetivo construir uma agenda de ações coletivas. O APL é um conjunto de empresas locais que mantem relações de interação, cooperação, comércio, tecnologia e aprendizado, tal qual o Arranjo Produtivo Local de Gemas e Joias – Polo Joalheiro.

A pedido do APL Gaúcho, Jana conheceu a experiência do Programa Polo Joalheiro do Pará e sua conexão com o Espaço São José Liberto com destaque para o funcionamento integrado das políticas públicas de desenvolvimento econômico, turismo, educação, profissional, cultural, ciência e tecnologia e inovação destinados ao setor produtivo de gemas e joias do Pará por meio do Governo do Estado, Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e do Instituto de Gemas e Joias do Pará.

A realização da programação do intercâmbio entre as experiências foram efetivadas com visitas técnicas ao ESJL e a unidade produtiva da Empresa de Joias Ourogema que dispõe de uma loja no Espaço. Outra atividade desta ação constitui-se na realização de entrevistas coma gestora do IGAMA, Rosa Helena Neves, e com o proprietário da microempresa paraense de Gemas e Joias, o senhor Marcelo Monteiro da Silva.

Os conteúdos do intercâmbio efetivado pontuaram os seguintes temas: funcionamento da cadeia produtiva de gemas e joias atendida pelo Programa Polo Joalheiro/PA; Governança e estratégias efetivadas; Plano Anual de Trabalho; as relações existentes com o Núcleo Estadual do APL/Pará; funcionamento do APL no ESJL; gestão e negócios; formas de cooperação existentes entre empresas, classificação das empresas que integram o Arranjo; funcionamento de inserção dos produtos do Polo Joalheiro no mercado; formas de organização da produção local; mecanismos e divulgação das ações realizadas; instituições e entidades parceiras do APL; mudanças ocorridas a partir do funcionamento do ESJL e do Arranjo Produtivo Local de Gemas e Joias – Polo Joalheiro do Pará.

Para Jana, o ESJL possui muitos diferenciais, pois “agrega outras formas: traz a moda, o turismo, a cultura e essa junção de forças e experiências só fortalece todos os segmentos”. Em termos de organização, Jana destaca que é “interessante existir uma instituição especifica que faz a gestão, porque às vezes o próprio empresário não tem condições de cuidar do seu negócio e dedicar um tempo para o segmento como um todo”.

Na ocasião, a visitante foi presenteada com um bride do ESJL produzido pelo empresário e artesão Guilherme Júnior e pode conhecer a Capela, o Museu de Gemas do Pará, o anfiteatro Coliseu das Artes, a Cela Cinzeiro, o Jardim da Liberdade, o Espaço Moda e loja de joias Una e ver de perto as joias, gemas, artesanatos e acessórios de moda, assinados por designers, estilistas e mestres artesãos, e produzidos por grupos de micro e pequenos empresários locais. 

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Lapidação na Amazônia contemporânea é tema de pesquisa de mestrado de designer do Programa Polo Joalheiro

Convite para a defesa de Mestrado do designer Jorge José Pereira Duarte | Imagem: divulgação

Discutir a lapidação de joias na Amazônia contemporânea é o tema da dissertação de mestrado do designer Jorge José Pereira Duarte. O trabalho intitulado “Lapidação criadora na joalheria contemporânea da Amazônia: processo criativo de um designer de joias” será defendido amanhã, 22, no Espaço São José Liberto, às 16h. A pesquisa faz parte do Programa de Pós-Graduação em Artes, vinculado ao Instituto de Ciências da Arte da Universidade Federal do Pará.

Jorge Duarte atua ativamente no Programa Polo Joalheiro há quatro anos e já participou de mais de doze exposições do Programa que, para ele, é um agente fundamental nos seus estudos porque “o Polo inspirou meu trabalho e por meio das oficinas e workshops do programa que eu pude desenvolver meu método de criação”. Jorge é graduado em Design de Produtos, pelo Instituto de Estudos Superiores da Amazônia, e especialista em Design de Moda, pela Universidade da Amazônia.

A pesquisa de Jorge Duarte parte da experiência profissional do autor como designer e discute o processo de criativo de joias no Polo Joalheiro. O trabalho trata da lapidação de joias na contemporaneidade e quais as bases inspiradoras na hora de criar os adornos, partindo das práticas artísticas do próprio autor e da pesquisa teórica baseada nas noções de Etnocenologia e Sociologia Compreensiva para refletir sobre a função das joias nos dias de hoje.

O trabalho é orientado pelo professor Miguel de Santa Brígida Junior, mestre e doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia e Pós-Doutor em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro. Também compõem a banca examinadora Ana Flávia Mendes Sapucahy, artista, professora e pesquisadora da UFPA, doutora e mestra em Artes Cênicas pela Universidade Federal da Bahia e pós-doutora em Artes Cênicas pela Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, e Virgínia Pereira Cavalcanti, avaliadora externa, professora associada do Departamento de Design da Universidade Federal de Pernambuco.

Serviço
Defesa da Dissertação “Lapidação criadora na joalheria contemporânea da Amazônia: processo criativo de um designer de joias” de Jorge José Pereira Duarte
Data: 22 de junho, às 16h
Local: Auditório do Espaço São José Liberto


Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe Recital Junino da Escola de Música da UFPA

Apresentação da Emufpa realizada em junho de 2016 no Coliseu das Artes do ESJL | Foto: Ascom Igama

O anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto recebe o Recital Junino da Escola de Música da Universidade Federal do Pará amanhã, 21, a partir das 17h, com a Orquestra Infantil de Violonistas Lícia Arantes, a Orquestra Infanto-Juvenil Helena Maia e alunos do curso de Canto Popular da EMUFPA. A apresentação também vai ter participação especial dos músicos Chiquinho do Acordeon, Berg, no triangulo, e Diego Augusto, na zabumba, que vão dar o ritmo de São João ao evento aberto ao público.

A Orquestra Infantil de Violinistas Lícia Arantes foi criada em 2000 pelos professores Celson Gomes e Joziely Brito que desde então é coordenadora do grupo. A OIVLA tem como objetivo buscar a extensão das atividades desenvolvidas em sala de aula sob a forma de grupo orquestral de violinos, com foco no desenvolvimento do ensino coletivo do estudo do violino, de aspectos cognitivos e na socialização das crianças. A OIVLA possui participação ativa em eventos anuais, nos quais se apresenta nas principais salas da cidade, entre os eventos, estão: Encontro de Arte de Belém – ENARTE, Concertos Natalinos, Projeto Sexta de Arte, Projetos Sociais (Junho com Solidariedade e Natal Solidário).


Já a Orquestra Infanto-Juvenil Helena Maia foi criada em 2004, pela professora Silvia Matos Qadar, e tem por objetivo proporcionar aos alunos de cordas friccionadas o ensino do nível básico a prática orquestral e por isso o repertório é composto por obras de todas as épocas. O grupo já se apresentou no Theatro da Paz, Igreja de Santo Alexandre e São José Liberto, em eventos como o ENARTE, Concertos Natalinos, Corredor Cultural e outros. A coordenação e regência são da professora Silvia Matos Qader, com colaboração do professor Rodrigo Santana e participação dos alunos do curso técnico Vinícius Araújo, Eduardo Florentino e Ingrid Queiroz.


O evento é uma promoção Escola de Música da Universidade Federal do Pará por meio do Instituto de Ciências e Artes da UFPA com o apoio da Secretaria de Estado pelo Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (IGAMA) que gerencia o Espaço São José Liberto.


ServiçoRecital Junino da EMUFPA
Data: 21 de junho, a partir das 17h
Local: Anfiteatro Coliseu das Artes do ESJL
Evento aberto ao público

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Horário de funcionamento do Espaço São José Liberto nos dias 12/06 e 15/06

Fachada do Espaço São José Liberto. Foto: João Ramid

A direção do Espaço São José Liberto/Polo Joalheiro do Pará (Praça Amazonas, s/n, Jurunas) informa que o local abrirá ao público normalmente, de 09h às 18h30, na segunda-feira, 12 de junho, Dia dos Namorados. E no dia 15 de junho, Corpus Christi, o Espaço funcionará em horário de feriado, de 10h às 18h.

No local, funcionam a Casa do Artesão, o Jardim da Liberdade, o Memorial, a Capela, o Museu de Gemas do Pará e as lojas de joia. O espaço é mantido pelo Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado de Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia (Sedeme), sendo gerenciado pela organização social Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (Igama).

Ascom/IGAMA




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.

Espaço São José Liberto recebe programação do XXX FIMUPA

Anfiteatro Coliseu das Artes, onde será realizada parte da programação do XXX FIMUPA.
Foto: João Ramid

No último dia do XXX Festival Internacional de Música do Pará, 11 de junho, a partir das 10h30, o anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto vai receber a finalização da Oficina Violino para Crianças em que os participantes irão se apresentar e mostrar o que aprenderam durante as aulas que ocorrem na semana do Festival.

A Oficina Violino para Crianças, ministrada pela violonista Simone dos Santos, mestre em Musicologia pela Universidade Federal do Rio de Janeiro, atende crianças de 7 a 12 anos com alguma experiência com instrumento musical ou no início deste processo, sendo que o principal objetivo é que os alunos se sintam estimulados com a música. Os alunos utilizam os instrumentos do Instituto Estadual Carlos Gomes para aprender e experimentar as técnicas básicas do violino através de exercícios lúdicos, histórias musicadas e canções folclóricas brasileiras, bem como exercícios para a coordenação motora.

A edição especial de aniversário do Festival tem como tema ‘Fimupa: 30 anos de música e cultura’ e o grande homenageado é o compositor Heitor Villa-Lobos, que em março de 2017 completou 130 anos de nascimento. O Festival Internacional de Música do Pará é uma promoção do Governo do Pará, realizado pela Fundação Carlos Gomes (FCG) e tem o apoio da Secretaria de Estado pelo Desenvolvimento Econômico, Mineração e Energia e do Instituto de Gemas e Joias da Amazônia (IGAMA).

Serviço
Finalização da Oficina Violino para Crianças – Programação do XXX Festival Internacional de Música do Pará
Anfiteatro Coliseu das Artes do Espaço São José Liberto, 10h30
Evento aberto ao público

Ascom/IGAMA com informações da Fundação Carlos Gomes




Não deixe de comentar essa matéria! Seu comentário é importante para nós.
Postagens Antigas
Inicio
Contador acessso